Getúlio Schilling

GETÚLIO SCHILLING

(Santa Maria – RS, 1896 – 1959)

Getúlio Schilling foi o primeiro datilógrafo de Santa Maria, cidade na qual atuou também como jornalista e cronista radiofônico. Com poucos recursos e empregos mal-remunerados, Schilling escreveu e compôs tipograficamente suas obras, imprimindo-as em prelo próprio e encadernando-as em sua oficina improvisada. Como escritor, produziu biografias familiares, peças teatrais, foi contista regional, poeta, ficcionista, autor de ensaios e crítica. A obra Getulíada, ou a Odisséia de uma Frustração encerra o ciclo do trabalho autobiográfico e foi escrita em papel de embrulho de 28 de novembro de 1953 a 19 de maio de 1954, e datilografada pelo autor entre 27 de outubro e 8 de novembro de 1955. No ano de 2005, a Casa de Memória Edmundo Cardoso, que alberga a coleção completa do autor, organizou a obra A Arte Fotográfica e o Teatro em Santa Maria, composta por dois textos inéditos de Schilling, doados por Rolando Schilling.

TÍTULOS

O Misantropo (peça em três atos) – 1920

Cânticos de Saul Pompeu (poema filosófico em prosa) – 1925

Alma Gaúcha (revista de arte regional) – 1927

Evolução histórica da imprensa santa-mariense – 1934

Um Quarto de século de vida literária (Memorial de um Autodidata) – 1936

A literatura em Santa Maria – Catalogo de Exposição Cultural (s.d.)

Evolução literária da bibliografia santa-mariense (Edição Pallotti) – 1941

Cezimbra Jacques, o Precursor (contribuição para a história da Bibliografia santa-mariense) – 1942

Catão Coelho, o Pioneiro (contribuição para a História da bibliografia santa-mariense) – 1943

Homens Ilustres de Santa Maria

O Theatro em Santa Maria

A Arte Fotográfica em Santa Maria

Poetas Santa-marienses de Há Meio Século

Mulheres Santa-marienses do Passado

Festas Santa-marienses de Antanho

O Guarany autodidático (Compêndio teórico-prático de Abá-Nêênga)

Primeiro compêndio em vernáculo do Grego Moderno

Biografia de Rodolfo Schilling

Sobre as ondas hertzianas… Conferências, Palestras e Comentários na Rádio Imembuí de Santa Maria – 1946

In Memoriam aos Manes dos meus Avoengos

Os mártires da literatura

Ibitory-retan (romance indígena)

Mephisto (alegoria dramática)

Paródia de A Segunda Noite na Taverna (Dionysio Pan Filho) – 1951

Os Gonçalves da Trindade, pioneiros lusitanos e Os Schilling, pioneiros teutônicos – 1953

Getulíada, ou a Odisséia de uma frustração – 1954

A Criação do município de Santa Maria (s.d.)

Sinopse da literatura Sul-Riograndense (Evolução Histórica-Bio-Bibliografia – Estética e Hermenêutica) – (s.d.)

Obras Incompletas… (fragmentos vários e sinfonias inacabadas)

SELETA

     O futuro do teatro em Santa Maria não é, pois, promissor. Aliás, Santa Maria tem tido bons amadores que chegam a provocar enchentes, quando as boas companhias provocam… vazantes, mas não conseguiu, até hoje, formar um grande ator. Os que mais se distinguiram no gênero foram os irmãos Pêra, naturais de Santa Maria, e que atuaram com pleno êxito nos teatros do Rio de Janeiro.

     A não ser que um golpe imprevisto de sorte, como aquele do Imperial, ou que surja um capitalista reforçado que queira botar dinheiro fora, o teatro em Santa Maria apresenta perspectivas nada sedutoras. Mas, confiemos no Destino que tem sido ‘camarada’ para com Santa Maria, e aguardemos o futuro com fé, porque o progresso em Santa Maria ainda apresenta sinais de exuberante vitalidade e com ele o teatro marchará, sempre AVANTE!

                                                                (SCHILLING, Getúlio. A arte fotográfica e o teatro em Santa Maria. Santa Maria: Pallotti, 2005, p. 102)