PUBLICAÇÕES

PRADO VEPPO. OBRA COMPLETA. 2ª ed

Prado Veppo experimentou duplamente o alcance da poesia na vida: como poeta, projetou-a pelo mundo, edulcorou-a a partir de uma força interior destinada a permanecer, a atravessar os tempos, a sobreviver-lhe; como médico, pode verificar a sua eficácia de conselheiras das muitas especialidades que buscou e, em situação extrema, receitá-la à implacável dor alheia. Prado Veppo – Obra completa – 2ª edição, além da cronografia do autor e de estudos introdutórios de Pedro Brum e Jaime Ginzburg, ordena, em sequência cronológica, os sete livros lançados pelo escritor entre 1962 e 1998.

 

PRADO VEPPO. Obra completa. Pedro Brum Santos e Vítor Biasoli (Orgs.). Ilustrações Eduardo e Flamarion Trevisan. Santa Maria: Editora UFSM, 2019.

JOSUÉ GUIMARÃES. NAS TRINCHEIRAS FEMININAS

Neste volume coletivo, que traça um perfil das personagens femininas no conjunto da obra de Josué Guimarães, Pedro Brum discute nuances de A ferro e fogo. Destaca que a literatura não é apenas locus da denúncia de fracassos, mas também asilo de perdedores. O fracasso constitui matéria heroica, como resistência para Catarina que, violentada, reestrutura a relação com o marido Daniel, mostrando-se forte e decidida para enfrentar as conturbações do universo primitivo que habita.

 

 

BARBOSA, Celina de Oliveira e SILVA, Vicentônio Regis do Nascimento. Josué Guimarães. Nas trincheiras femininas. Londrina: EDUEL, 2019.

E AGORA JOSÉ?

 

Volume coletivo que trata das relações entre vida e literatura. Pedro Brum assina o capítulo “Escrita, história e política em José Saramago”. Trata-se de mergulho na obra do escritor português, na qual vê inseridos os temas e os caracteres humanos tratados no debate político, diante dos quais Saramago jamais se furtou na defesa de opiniões polêmicas ao arrepio do senso comum.

 

 

RODRIGUES, Rauer Ribeiro; SANTOS, Rita de Cássia Silva Dionísio; SOUZA, Eunice Prudenciano de (Orgs.). E agora José? Uberlândia: Pangeia, 2019.

CULTURAS 13. DEBATES Y PERSPECTIVAS DE UM MUNDO EM CAMBIO

 

Pedro Brum apresenta artigo em que discute o enunciado de pertença, lugar intersticial da voz do imigrante. Ponto de fala – e de narrativa – que acarreta dificuldades na superação do complexo de mestiçagem étnica e cultural. Ao refletir sobre esses aspectos, o artigo produz anotações sobre a presença judaica na literatura brasileira.

 

 

 

Culturas 13. Debates y perspectivas de um mundo em cambio. Revista do Centro de Investigaciones em Estudios Culturales, Educativos, Históricos y Comunicacionales. Facultad de Humanidades y Ciencias, Universidad Nacional del Litoral, Santa Fe, Argentina, 2019.

A PROTEÇÃO DO OPERARIADO NA REPÚBLICA

A persistente e pouco conhecida obra de João Cezimbra Jacques, publicada entre 1883, data de Ensaios sobre os costumes do Rio Grande do Sul, e os escritos de pouco antes de sua morte, ocorrida em 1922, permite-nos salientar o papel de agentes como ele. O lugar que ocupam no campo literário supõe a construção de saberes nem suficientemente “amateurs” nem excessivamente especializados. A face múltipla desse divulgador cultural desdobra-se em crítica social, de inspiração positivista, neste A Proteção do operariado na República, título de 1918 publicado ao sabor das primeiras informações chegadas ao Brasil sobre a Revolução Bolchevique.

JACQUES, João Cezimbra. A proteção do operariado na República. Júlio Quevedo dos Santos; Orlando Fonseca; Pedro Brum (Orgs.). Porto Alegre: Martins Livreiro, 2018.

HISTÓRIA DA LITERATURA EM PERSPECTIVA

 

Obra que se associa à compreensão da história da literatura como repositório de nossa memória coletiva. Em “Limites do realismo: itinerário da ficção brasileira no século XX”, Pedro Brum sublinha a forte presença autoral no intercurso da assunção da narrativa surgida a partir do decênio de 1930, destacada pela aproximação entre história e realidade e pelo vislumbre da inequívoca perseverança do escritor interventivo que tomou para si as rédeas de tendências já esboçadas nas décadas precedentes.

 

PEREIRA, Helena Bonito; SALES, Germana; ARENDT, João Cláudio. (Orgs.) História da literatura em perspectiva. São Paulo: Mackenzie, 2018.

EXTENSÃO DO MODERNO NA NARRATIVA BRASILEIRA

 

O volume privilegia o estudo de autores como Cyro dos Anjos, Erico Verissimo, Pedro Nava, Antonio Callado e Milton Hatoun. A partir do apontamento de situações pendulares como ficção e memória, localismo e cosmopolitismo, a obra busca revisitar a problemática do moderno na narrativa brasileira, seus desdobramentos e contradições.

 

 

 

SANTOS, Pedro Brum. (Org.) Extensão do moderno na narrativa brasileira. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2018.

FELIPPE D’OLIVEIRA. OBRA COMPLETA. 2ª ed

Entre Vida extinta, a festejada estreia de 1911, e Lanterna verde, triunfo modernista de 1926, Felippe D’Oliveira entregou ao delírio de sons e cromos geométricos a condução do lirismo, fazendo do movimento sensorial ondulado o modo de ser de sua linguagem. Tributária da magia vocabular dos grandes poetas, sua obra é composta de alterações estéticas e culturais inspiradas em período histórico assinalado por crises e conflitos altamente transformadores. Oportuna reedição de sua Obra Completa com a decisiva participação de integrantes do Grupo de Pesquisa Literatura e História no trabalho de digitalização e fixação de texto.

Felippe D’Oliveira. Obra completa. 2ª edição. Lígia Militz da Costa; Maria Eunice Moreira; Pedro Brum Santos (Orgs.).. Santa Maria: Editora UFSM, 2016.

LITERATURA E MEMÓRIA POLÍTICA

O professor Pedro Brum assina um capítulo da obra. Trata da “firmeza política tantas vezes reiteradas pelo cidadão José Saramago” com o objetivo de demonstrar que ela se manifesta constantemente no romancista e pode ser verificada no conjunto de sua obra. Também assinam capítulos, além dos organizadores Benjamin Abdala Junior e Rejane Vecchia Rocha e Silva, nomes como Laura Cavalcante Padilha, Regina Zilberman, Tania Macedo, Eneida Leal Cunha e Jane Tutikian, que há tempos trabalham nessa linha de articulação entre o social, o político e o literário no concerto de expressões de língua portuguesa.

 

 ABDALA JUNIOR, Benjamin; ROCHA E SILVA, Rejane Vecchia (Orgs.) Literatura e memória política. Angola. Brasil. Moçambique. Portugal. Cotia, SP: 2015.

ROMEU BELTRÃO. CRONOLOGIA HISTÓRICA DE SANTA MARIA E DO EXTINTO MUNICÍPIO DE SÃO MARTINHO. 1787-1930

 Esta terceira edição da Cronologia histórica, de Romeu Beltrão, cujo texto-base é o de 1979 (último disponível, até então), apresenta algumas inovações. Entre elas a introdução assinada por Beatriz Weber, professora do Curso de História da UFSM, e a orelha com texto de José Antonio Brenner, historiador reconhecido pelo paciente e eficaz trabalho de esclarecer o passado rio-grandense. A coordenação de reedição é de Pedro Brum Santos, que também assina notas em parceria com Vitor Biasoli e os citados José Antonio Brenner e Beatriz Weber. Aqueles que conhecem a matéria e reconhecem a verdadeira façanha empreendida por Beltrão na consecução dessa obra-chave do passado santa-mariense já podem acessá-la novamente, depois de anos esgotada.

BELTRÃO, Romeu. Cronologia histórica de Santa Maria e do extinto município de São Martinho. 1787-1930. Pedro Brum Santos (Org.) Santa Maria: Editora da UFSM, 2013.

ARQUIVOS REVISITADOS DA AMÉRICA LUSA

Coletânea de ensaios de pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras, cujos projetos tem se cruzado, de forma espontânea ou previamente planejada. O objetivo é atualizar, para um público mais amplo, debates em torno da historiografia literária, crítica genética, estudos comparados e multiculturais. Pedro Brum assina o texto “Romance histórico nas fronteiras do Brasil oitocentista”. O objetivo é mostrar como que, na obra de José de Alencar, a extração dos tipos rurais significa uma espécie de tradução em cifra reduzida do autóctone consagrados nas obras iniciais e o quanto isso importa para entender os motivos regionais eleitos pelos primeiros romancistas brasileiros.

CAIRO, Luiz Roberto; PEREIRA, Márcio Roberto; AZEVEDO, Sílvia Maria (Org.). Arquivos revisitados da América Lusa. Escritos sobre memória e representação literária. Assis: UNESP, 2010.

QUESTÕES DE CRÍTICA E HISTORIOGRAFIA LITERÁRIA

O livro reúne 19 ensaios de pesquisadores brasileiros e estrangeiros e está dividido em duas partes: “Questões de crítica” e “Questões de historiografia”. Coordenador do Grupo de Pesquisa Literatura e História, na UFSM, Pedro Brum assina o texto “História e sociedade na ficção de Erico Verissimo”. O propósito é refletir sobre os modos como o autor rio-grandense incorporou os registros da história e da sociedade à sua escrita e sobre os resultados dessa empresa para o conjunto de sua obra.

CAIRO, Luiz Roberto Velloso e MOREIRA, Maria Eunice (Org.). Questões de crítica e historiografia literária. Porto Alegre: Nova Prova, 2006.

MEMÓRIAS. JOÃO DAUDT FILHO

João Daudt Filho viveu 90 anos. Nasceu em Santa Maria, RS, em 1858, semanas após a instalação oficial do município. Primeiro farmacêutico diplomado de sua terra, na época em que a vila ainda não havia sido elevada à condição de cidade, a ela dedicou generosas ações beneméritas ao longo da existência. Depois de três edições originais nos anos de 1940, Memórias ganhou esta reedição contemporânea, com fixação de texto de Pedro Brum Santos, projeto gráfico e notas de Valter Noal Filho e orelha de Antonio Isaia.

 

DAUDT FILHO, João. Memórias. Pedro Brum Santos (Org.) Santa Maria: Editora da UFSM, 2003.

LITERATURA, HISTÓRIA E MEMÓRIA EM BAÚ DE OSSOS

Apoiado em fundamentação teórica fornecida fundamentalmente pelas obras de Philippe Lejeune e Gaston Bachelard, Pedro Brum aborda o texto que inaugura a ficção memorialista de Pedro Nava. Procura avaliar o alcance dos registros de autobiografia, memória e história na composição do escritor mineiro.

SANTOS, Pedro Brum. Literatura, história e memória em Baú de ossos. Coleção Fragmentum. Santa Maria: PPGL Editores, 2002.

 

PRADO VEPPO. OBRA COMPLETA

Volume reúne poemas publicados originalmente no espaço entre 1962 e 1998. Os poemas publicados originalmente em sete volumes ao longo do mencionado intervalo de tempo estão reunidos nesta obra completa que tem apresentação de Vítor Biasoli, cronografia organizada por Pedro Brum Santos e um estudo introdutório assinado por Jaime Ginzburg.

PRADO VEPPO, Luis Guilherme. Obra completa. Pedro Brum Santos e Vitor Biasoli (Org.) Santa Maria, Editora da UFSM, 2002.

O TEMPO E O VENTO. 50 ANOS

O livro organizado por Robson Pereira Gonçalves apresenta textos de integrantes do grupo Literatura e História. Publicado em 2000, integrou as comemorações dos cinquenta anos de O continente, obra inaugural da trilogia de Erico Verissimo. No total são 20 textos de especialistas de diversas universidades brasileiras em edição ricamente ilustrada com gravuras alusivas produzidas pelo artista plástico João Luiz Roth.

GONÇALVES, Robson Pereira (Org.) O tempo e o vento. 50 anos. Santa Maria: Editora da UFSM; Bauru: EDUSC, 2000.

 

LITERATURA & HISTÓRIA: PERSPECTIVAS & CONVERGÊNCIAS

Publicação resultante do “Seminário Literatura e História – perspectivas & convergências”, realizado em agosto de 1999 na UFSM. Na primeira parte estão textos de integrantes do Grupo Literatura e História. Na segunda parte, divididas por temas, de acordo com o formato do evento, estão os resumos das comunicações apresentadas naquela ocasião. Os integrantes do grupo à época que têm textos nesta publicação: Eunice Piazza Gai, Jaime Ginzburg, Orlando Fonseca, Pedro Brum Santos e Rosani Ketzer Umbach.

 SANTOS, Pedro Brum e VESCIO, Luis Eugênio (Org.) Literatura & História. Perspectivas e convergências. Bauru: EDUSC, 1999.

TEORIAS DO ROMANCE

Revisão das fases em que, nos estudos literários, o relacionamento entre ficção e História tem-se mostrado mais saliente. A obra reflete a respeito da incidência com que tal questão tem repercutido, de modo genérico, na conceituação do ficcional e, em particular, na delimitação do chamado romance histórico.

SANTOS, Pedro Brum. Teorias do romance. Relações entre ficção e história. Santa Maria: Editora da UFSM, 1996.

 

FELIPPE D’OLIVEIRA. OBRA COMPLETA

Edição comemorativa ao centésimo aniversário do poeta, ocorrido em 1990, e que reuniu, à época, esforços do Instituto Estadual do Livro, UFSM e Centro de Pesquisas Literárias da PUCRS. A equipe que trabalhou na organização, composta por Ligia Militz da Costa, Maria Eunice Moreira e Pedro Brum Santos atesta, justamente, a união desses esforços conjuntos. O resultado foi contribuir com o conhecimento e a divulgação da obra completa deste autor que publicou entre os anos de 1910 e 1920 e cujas edições já se encontravam, naturalmente, dispersas e distanciadas do leitor.

 

D’Oliveira, Felippe. Obra completa. Lígia Militz da Costa, Maria Eunice Moreira e Pedro Brum Santos (Orgs.) Porto Alegre: IEL; Santa Maria: Editora da UFSM, 1990.